Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Talvez Outro Dia

Talvez Outro Dia

Ter | 10.12.19

Viajar não é um mar de rosas

RitaMonteiro

80054258_3100826836598412_387441861536514048_n.jpg

Viajar não é um mar de rosas, mas é um mar de nuvens e experiências.

Viajar não é um mar de rosas.
Viajar não são apenas as fotografias bonitas que se publicam nas redes sociais.
Viajar também é stress, casas de banho de aeroporto com filas, ouvidos a estalar na descolagem do avião, viajar em low cost para poupar uns trocos e ficarmos possessos com a qualidade do serviço, ser assaltado no estrangeiro, perder os documentos num país que não é o nosso, é perdermo-nos pelo menos uma vez, dormir em camas por onde já passou tanto corpo, dividir quartos em hostel, guardar as coisas a cadeado, acordar pior do que nos deitámos e com a sensação que não descansámos nada.
Viajar também é contar trocos, passar fome quando não se gosta das comidas ou quando não nos fazemos entender num país de línguas manhosas, passar frio se o quarto do hotel/hostel não está aquecido, é aprender o que é uma cozinha partilhada num hostel, cozinhar ao lado de uma pessoa que mora do outro lado do mundo a fazer comidas tão diversas que nós nunca vimos, a ficarmos enjoados com os cheiros, espantados com as diferentes culturas, impressionados com as diferenças que há por esse mundo fora.
Viajar é estar em filas, seja nos museus, nos aeroportos ou nas estações de metro/comboio e estarmos sempre em dúvida se estamos na fila correcta.
Viajar é ouvir a nossa língua num país que não é o nosso e começarmos logo a falar com os nossos conterrâneos. Viajar é encontrar conhecidos do outro lado do globo e perceber que o mundo é, realmente, tão grande e tão pequeno ao mesmo tempo.
Viajar é olheiras. Oh sim, viajar é olheiras! olheiras de quem só dorme o que pode, onde pode e como pode. Olheiras de quem quer visitar tudo e ver tudo e não deixar nada por fazer, sempre em pouco tempo. Olheiras de quem está cansado mas não consegue adormecer com a mesma rapidez que adormece na sua cama. Olheiras de quem fica horas no hostel a conversar com pessoas de todos os cantos do mundo. Viajar é olheiras! Viajar é cansativo! Viajar é andar com uma mochila pesada às costas para todo o lado, e gostar de o fazer. Ter os costados a doer com o peso mas não querer largar a mochila nem por nada. Porque todo o mochileiro sabe que quando nos tiram a mochila, parece que levam um pouco de nós, porque carregamos na mochila tudo o que nos é tão necessário. Viajar de mochila às costas é levar apenas o necessário. É carregar aquilo que vamos precisar, todos os dias, para todo o lado. É deixar em casa as futilidades do dia a dia que nos parecem tão úteis e afinal são tão dispensáveis. É sobreviver 3 dias, 5 dias, 10 dias ou um mês com uma mala sempre do mesmo tamanho. Portanto já podem imaginar que viajar também é lavar roupa à mão no hotel/hostel.
Viajar também é não conseguir dormir de noite com dores nas costas porque a cama do hostel não vale nada, e mais uma vez: as olheiras no dia seguinte.
Mas todas estas coisas não são tão desagradáveis assim, porque viajar dá muito mais do que tira, porque “Viajar é cultura na prática”. Porque aprendemos a não ser esquisitos, apreendemos a não ser fúteis, aprendemos a lei do desenrasca e a lei do sobrevive, e a sensação é tão boa quando nos safamos bem e felizes.
É tão fácil ser feliz apenas com uma mochila às costas por mais que ela pese (eu sei... mas quem olha para as minhas olheiras assim nunca diria).
Viajar é felicidade não só de alcançar o destino, mas de todas as aventuras que vivemos pelo caminho e das pessoas que conhecemos.


“Façam o favor de ser felizes”, façam o favor de viajar ! ❤️

RitaMonteiro

 

para verem fotografias da minha última viagem (9 dias pelo Reino Unido) podem aceder ao meu instagram: https://www.instagram.com/ritamonteiro94/

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

2 comentários

Comentar post